bandeira-imperial-brasil

O que a história da nossa bandeira pode nos dizer sobre doutrinação nas escolas?

Talvez essa pergunta lhe soe estranho, pois parece tratar de duas questões totalmente desconexas, a princípio. Porém, é possível perceber que somos(fomos) doutrinados no que diz respeito a origem do pavilhão nacional.

O desenho da bandeira nacional foi realizado por Jean-Baptiste Debret(1768-1848). A cor verde remete a dinastia de Bragança, origem de D. Pedro I; e a amarela faz alusão a dinastia de Habsburgo, família de D. Leopoldina, então imperatriz do Brasil. No meio, onde hoje é o círculo azul com a frase “Ordem e Progresso”(lema positivista que norteou o Partido Republicano), era lugar do brasão imperial. Tal círculo somente foi inserido após a proclamação da república.

bandeira_mm

A quantidade de pessoas que não sabe deste fato e que acha que as cores fazem referência à mata, ao ouro, etc. é que diz o quanto nossa educação é doutrinatória. Por qual razão essa informação, que nada tem de complexa, é escondida nas nossas escolas?

Para responder esta pergunta temos que entender que o nosso último imperador, D. Pedro II, detinha imensa popularidade e que, portanto, a proclamação da república não era bem vista. Em virtude disto, a família imperial teve que deixar o país de madrugada para que não houvesse revolta popular. Sendo assim, o novo governo republicano entendeu que tudo que fizesse menção à monarquia deveria ser apagado não apenas do presente, mas também do futuro. Ensinar a verdade sobre nosso período monárquico poderia causar problemas, pois as pessoas saberiam que não houve período de maior desenvolvimento na história do país e assim, fatalmente, exigiriam a volta do antigo regime.

Com o passar dos anos, esta estratégia acabou sendo vantajosa, também, para os os governos esquerdistas que tivemos. Por exemplo, se as crianças soubessem que D. Leopoldina ajudou a arquitetar e exigiu de D. Pedro I a proclamação da independência, como o movimento feminista diria aos quatro ventos que jamais uma mulher teve papel importante nesse país até a comunista Dilma Rousseff assumir o governo? Se soubessem também, que os próprios escravos possuíam escravos, qual seria o argumento do Movimento Negro? Zumbi seria alguma coisa para nós hoje? Bastante improvável.

Entrarei em mais detalhes sobre as afirmações acima em momento oportuno. O importante é você saber desde já que educação pelo Estado é educação para o Estado. A libertação passa pela leitura independente.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s